Afinal Nutri, criança pode ou não ser vegetariana ou vegana ?

Atualizado: 29 de nov.


O padrão alimentar vegetariano, tem ganhado adeptos em todo mundo, assim como no Brasil. Saúde, respeito aos animais e sustentabilidade, são alguns dos motivos para o crescimento do vegetarianismo e veganismo no Brasil.


De acordo com a Sociedade Vegetariana Brasileira – SVB, ”é considerado vegetariano todo aquele que retira da sua alimentação todos os tipos de carne, aves, peixes e seus derivados, podendo ou não utilizar laticínios ou ovos’’. Ainda segundo a SVB, o padrão alimentar vegetariano pode classificar-se em:


ovolactovegetariano (exclui a carne e o pescado e permite ovos e laticínios), lactovegetariano (exclui a carne, pescado e ovos e permite os laticínios), ovovegetariano (exclui carne, pescado e laticínios e permite o consumo de ovos), vegetariano estrito (exclui todos os alimentos de origem animal - (incluindo, por ex.: mel, gelatina, banha etc).


No livro: Alimentação Sem Carne, o Dr Eric Slywitch (pag.10, 2008) cita que: Não há mais dúvidas que a dieta vegetariana, inclusive a vegana, bem planejada, é adequada. A posição da American Dietetic Association (ADA) desde 1993 é de que dietas vegetarianas apropriadamente planejadas planejadas são saudáveis e adequadas em termos nutricionais.


A ADA afirma: “ Dietas veganas e ovoactavegetarianas bem planejadas são adequadas a todos os estágios do ciclo vital, inclusive durante a gravidez e a lactação. Dietas veganas e ovolactovegetarianas adequadamente planejadas satisfazem as necessidades nutricionais de bebês, crianças e adolescentes e promovem o crescimento normal”.


Quais são os fatores sociais, culturais e econômicos que influenciam nas modificações no Padrão Alimentar da sociedade contemporânea, principalmente crianças e adolescentes, em direção ao vegetarianismo? Os comportamentos alimentares têm vindo a alterar-se ao longo dos anos, tendo-se verificado um maior interesse pelo vegetarianismo, por parte de adultos mas também pelas crianças e adolescentes.


Os motivos que podem levar crianças e adolescentes a adotarem uma alimentação vegetariana, podem ser: questões de saúde, ambientais, religiosas, econômicas ou éticas. O padrão alimentar em questão diferentemente da alimentação onívora, que inclui carnes e derivados, apresenta alguns benefícios para a saúde, nomeadamente na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, como a obesidade,

doenças cardiovasculares, doenças respiratórias, hipertensão, diabetes tipo 2 e câncer.


Atualmente já é bem divulgado que a alimentação vegetariana, se for corretamente planejada como toda alimentação deve ser, pode suprir todas as necessidades nutricionais de crianças, adolescentes, ou pessoas em quaisquer outras faixas etárias. Contudo, se não for bem elaborada, pode originar déficits nutricionais, tais como: carência de vitaminas principalmente do Complexo B, deficiência de

ferro e minerais como: Cálcio, Zinco e Potássio, comprometendo o crescimento e desenvolvimento adequados, principalmente em crianças e adolescentes.


Por fim, acredito que o mais coerente a se fazer antes de condenar esse estilo alimentar, são os profissionais da área da saúde que não apoiam o vegetarianismo, aprofundarem mais no assunto, já que atualmente vários estudos comprovam os amplos benefícios, de aderir esse estilo alimentar em qualquer fase da vida.


Créditos: Idalene Rocha - CRN: 55411


Como referenciar este post?


ROCHA, Idalene. Afinal Nutri, criança pode ou não ser vegetariana ou vegana ?. Post 359. Nutrição Atenta. 2022.

Instagram: @idalenerocha_nutri

18 visualizações

Posts recentes

Ver tudo