Emagrecimento: tudo o que todos precisam saber!

Desde os primórdios Hipócrates (460 a.C. – 370 a.C.) dizia: “A corpulência não é apenas uma enfermidade em si, mas o prenúncio de outras. A morte súbita é mais comum naqueles que são naturalmente gordos do que nos magros’’.


Mas antes de você saber tudo sobre o emagrecimento, devemos conhecer a definição da obesidade, e a mais utilizada é a baseada no índice de massa corporal (IMC). O IMC retrata o grau de corpulência, porém sem definir exatamente o conteúdo corporal de gordura ou de massa magra. Profissionais de saúde possuem ferramentas para identificar, quantificar e classificar esse conteúdo corpóreo.


A obesidade é uma doença crônica, também é caracterizada como uma epidemia mundial, e está associada ao estilo de vida, genética e fatores emocionais. Durante muito tempo foi considerada consequência apenas de fatores comportamentais, relacionados com a falta de força de vontade, por exemplo. Hoje em dia, sabe-se que a fisiopatologia da obesidade é complexa e que existem, sim, indivíduos altamente suscetíveis ao ganho de peso e outros altamente resistentes. Inúmeros fatores genéticos, ambientais e comportamentais influenciam o balanço energético e o controle do peso.


“Tudo bem, mas qual a melhor dieta e o que devemos fazer para emagrecer?”


Esta pergunta não é tão simples assim, os estudiosos nos trazem o que realmente acontece com o processo da beta-oxidação de gordura que promove o emagrecimento. A resposta é o balanço energético negativo, que se traduz em uma conta matemática de gastar mais energia (com atividade física) e consumir menos (tratamento dietético), isso é o ideal, porém existem diversas estratégias para que possamos chegar ao resultado esperado, sendo que nem sempre algumas delas são consideradas saudáveis.


Alguns exemplos de dietas conhecidas: Low Carb, Cetogênica, Low, Fat, Jejum intermitente, Low Fat, Paleo...


A melhor dieta, posso te responder com todas as letras, é aquela feita para você, aquela onde você respeitará sua rotina, suas condições e consiga fazer e manter. Essa dieta é acompanhada de um nutricionista que irá pensar na sua individualidade e auxiliá-lo nessa mudança.


Também muito importante e muito procurado, é o tratamento medicamentoso para obesidade, várias substâncias têm sido utilizadas, cada uma prometendo resolver definitivamente o problema. Se fossem eficazes, pela quantidade em que são vendidas, poderíamos afirmar sem temor de errar que “a humanidade seria extremamente magra”.


Apesar da farmacoterapia ter seu papel no tratamento da obesidade de adultos, nenhuma das substâncias têm se mostrado eficaz e isenta de efeitos colaterais para ser utilizada em obesos. O tratamento farmacológico só se justifica em conjunção com orientação dietética e mudanças

de estilo de vida. Os agentes farmacológicos somente ajudam a aumentar a adesão dos pacientes a mudanças nutricionais e comportamentais.


O tratamento farmacológico da obesidade não cura a obesidade – quando descontinuado e ocorre reganho de peso, como qualquer outro tratamento. Segundo Marcio C. Mancini (1963-) e Alfredo Halpern (1941-2015)*. A obesidade não é apenas um problema. É uma doença que justifica tratamentos baseados em evidências bem fundamentadas e orientação nutricional, de atividade física e comportamental intensiva, terapia medicamentosa e cirurgia em alguns casos.


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica Diretrizes brasileiras de obesidade 2016 / ABESO - Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. – 4.ed. - São Paulo, SP



Buchholz A.C., Schoeller D.A. Is a calorie a calorie? Am. J. Clin. Nutr. 2004;79:899S–906S. doi: 10.1093/ajcn/79.5.899S


Hall KD, Bemis T, Brychta R, et al. Calorie for Calorie, Dietary Fat Restriction Results in More Body Fat Loss than Carbohydrate Restriction in People with Obesity. Cell Metab. 2015;22(3):427-436. doi:10.1016/j.cmet.2015.07.021



Magkos F. Metabolically healthy obesity: What’s in a name? Am J Clin Nutr 2019;110:533-9.


Mancini MC. Tratado de Obesidade. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015.


Mancini MC & Faria AM. Perspectivas do tratamento farmacológico da obesidade. In:

Mancini, MC, et al. Tratado de Obesidade. Rio de Janeiro, RJ: Ed Guanabara Koogan, 2015.


Ruban A, Stoenchev K, Ashrafian H, Teare J. Current treatments for obesity. Clin Med (Lond). 2019;19(3):205-212. doi:10.7861/clinmedicine.19-3-205.



Como referenciar este post?


NERES, Antônio. Emagrecimento: tudo o que todos precisam saber! Post 241. Nutrição Atenta 2022.

@neresnutri

13 visualizações

Posts recentes

Ver tudo