top of page
  • Foto do escritornutricaoatenta

Fisiologia do pâncreas


PÂNCREAS EXÓCRINO


O pâncreas exócrino corresponde à maior parte da massa pancreática, constituída basicamente por células acinares, organizadas na forma de ácinos.


As células acinares sintetizam enzimas digestivas, em sua forma inativa, tais como amilases, proteases, lipases e nucleases. Posteriormente, essas enzimas são secretadas nos ductos pancreáticos e transportadas até o duodeno, onde são ativadas. As células dos ductos produzem mucina e fluidos ricos em bicarbonato, úteis na neutralização do conteúdo ácido estomacal.


PÂNCREAS ENDÓCRINO


ILHOTAS PANCREÁTICAS

A função endócrina do pâncreas é desempenhada por aglomerados de células, dispersas no tecido acinar pancreático, denominados Ilhotas de Langerhans. Foram descritas pela primeira vez em 1869, por Paul Langerhans.


O pâncreas adulto normal, contém cerca de 1 milhão de ilhotas, o que constitui até 2% da massa pancreática. São distribuídas irregularmente pelo parênquima exócrino, mais densamente na região da cauda.


NEUROTRANSMISSORES PROVENIENTES DE FIBRAS PARASSIMPÁTICAS QUE MODULAM A SECREÇÃO HORMONAL DAS ILHOTAS PANCREÁTICAS



NEUROTRANSMISSORES

FUNÇÃO

Acetilcolina

Estimula liberação de insulina, glucagon e polipeptídeo pancreático. Sua ação se inicia após a ligação no receptor muscarínico da célula β, ativando a fosfolipase C, a via inositol-1,4,5-trifosfato (IP3) e diacilglicerol (DAG) e, consequentemente, aumentando a concentração de cálcio intra-celular

Polipeptideo Intestinal Vasoativo (VIP)

Amplamente distribuído nas fibras parassimpáticas que inervam as ilhotas pancreáticas e o trato gastro-intestinal. Parece aumentar a concentração de cálcio intra-celular, porém os mecanismos são pouco conhecidos

Polipeptídeo liberador de gastrina (GRP)

É abundante nas fibras parassimpáticas do pâncreas, sendo liberado sob estimulação vagal. Estimula a secreção de insulina, glucagon, somatostatina e polipeptídeo pancreático. Assim como a acetilcolina, age via fosfolipase C, IP3, DAG, aumentando a concentração de cálcio intra-celular.

INSULINA


• Hormônio hipoglicemiante

• Secretada pelas células β

• Estímulo - elevação dos níveis sanguíneos de glicose

• Único hormônio capaz de diminuir os níveis sanguíneos de glicose

• Aumenta o transporte de glicose para músculos e tecido adiposo

• Um dos hormônios envolvidos no crescimento e desenvolvimento


Estímulo à secreção de insulina


• ↑ [ glicose ]

• ↑ [ aa livres] arginina, lisina, leucina e alanina

• ↑ [ GI hormônios ] (gastrina, secretina, CCK, GIP)

• ↑ [ glucagon ]

• Noradrenalina (↓ [ ]; receptor α-adrenérgico)

• Acetilcolina


Secreção de insulina - Inibição


• ↓ [ glicose ]

• ↑ [ somatostatina ] (pancreática + gástrica)

• Noradrenalina (↑ [ ]; receptor β-adrenérgico)

• Adrenalina (receptor β-adrenérgico)



Desbalanço na homeostase de glicose


• Diabetes mellitus tipo I - (dependente de insulina)

• Diabetes Tipo II (insulina-independente )

• Falta de tratamento – altos níveis sanguíneos de glicose – Excreção de glicose pelos rins – Maior excreção de água



GLUCAGON


• Ação biológica oposta à insulina

• Efeitos dependentes de AMPc

• Promoção gliconeogênese hepática

• Promoção lipólise

• Promoção glicogenólise





Referências bibliográficas


Disciplinas USP: O pâncreas como um órgão endócrino. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/3536837/mod_resource/content/1/Pa%CC%82ncreas%20Endo%CC%81crino.pdf. Acesso em: 24 maio 2023.



MONTENEGRO, Jr. Renan.; FERNANDES, Mariana Chaves Virginia. FISIOLOGIA PANCREÁTICA: PÂNCREAS ENDÓCRINO. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/handle/riufc/30094. Acesso em: 24 maio 2023.


Como referenciar este post?

CINTRA, Patricia. Fisiologia do pâncreas. Post 458. Nutrição Atenta. 2023.

Instagram: @cintra.nutricionista.




20 visualizações

Comments


bottom of page