Nutrição na Gestação

Atualizado: 25 de out. de 2021


A maternidade é um momento único e um dos mais intensos na vida de uma mulher. A partir do instante em que aflora o desejo de ser mãe, ela já começa a imaginar como será esse bebê, se menino ou menina, o rostinho vai ser parecido com quem da família e tantos outros pensamentos acerca de como transcorrerá a gestação.

O período de gestação é marcado por muitas mudanças no organismo materno, como as alterações psicoemocionais, que têm por fim estabelecer um vínculo afetivo entre mãe e filho, bem como as transformações metabólicas e fisiológicas, que acontecem para que haja uma adequação no complexo materno-fetal-parto. Assim, é importante que a futura mamãe esteja atentada a tudo que se refere a sentir, a fazer, a pensar e, em especial, a comer.

Sabe-se que uma nutrição adequada é de suma importância em qualquer ciclo vital, bem como para a promoção, prevenção e manutenção da saúde humana. Mas na gestação, essa importância se torna ainda maior, devido às necessidades de nutrientes estarem aumentadas para garantir o crescimento e o desenvolvimento adequado do feto e também para a manutenção nutricional da mãe.

Nesse sentido, um dos melhores momentos para a gestante pensar em uma alimentação saudável é nesse período, pois os benefícios para ela e o feto são imensos. Uma ingestão inadequada de nutrientes pode levar a carências nutricionais, que pode contribuir para má formação fetal, crescimento insuficiente e refletir negativamente sobre a saúde da grávida.

Como dito antes, acerca de uma demanda aumentada de nutrientes no período gestacional, isso não é desculpa para que a grávida se alimente por dois, visto que o acréscimo calórico a ser ingerido vai depender do trimestre em que a futura mamãe se encontra.

Segundo as diretrizes sobre a ingestão calórica na gestação, no primeiro trimestre, a grávida deve manter a mesma ingestão energética de quando estava do período pré-gestacional. Porém, sintomas como náuseas e vômitos podem levar a gestante a um déficit calórico, mas esse processo não deve ser motivo de preocupação, pois, na maioria dos casos, o organismo busca o equilíbrio nutricional nos próximos trimestres.

Nesse sentido, o acompanhamento nutricional é de fundamental importância, pois o peso e a saúde do feto e, em breve, do recém-nascido dependem em grande parte do estado nutricional materno e o nutricionista pode auxiliar para que a gestante tenha uma alimentação adequada, equilibrada e uma gravidez saudável.


No próximo post, falaremos acerca das recomendações energéticas em cada trimestre gestacional, da quantidade de macro e micronutrientes necessários no período gravídico, assim como do ganho de peso e suas implicações na gestação.


Fontes:

GOMES, C.B. et al. Hábitos alimentares das gestantes brasileiras: revisão integrativa da literatura, 2017.

VASCOCELOS, M.J.O.B. et al. Nutrição Clínica: obstetrícia e pediatria,2011.

VITOLLO, M.R. Nutrição: Da Gestação ao Envelhecimento, 2014.


Como referenciar este post?


SCORSAFAVA, Claudia. Alimentação na Gestação. Post 166. Nutrição Atenta. 2021


22 visualizações

Posts recentes

Ver tudo