Nutrição vegetariana e saúde. Sem dúvida, uma excelente combinação!

Estamos acostumados a relacionar a alimentação vegetariana apenas à ausência de carne na

dieta, mas ser vegetariano vai muito além de deixar de comer carnes ou produtos de origem animal.


Quem é vegetariano ou vegano, já ouviu inúmeras vezes questionamentos quanto aos nutrientes ingeridos e devido à falta de informação, muitas pessoas ficam presas ao mito: "somente uma alimentação à base de carnes e derivados de produtos de origem animal é que pode suprir a necessidade nutricional do corpo". Como disse, isso é um mito! A nutrição vegetariana é capaz de fornecer ao organismo tudo o que ele precisa, basta seguir uma alimentação equilibrada, rica em grãos, legumes, verduras, frutas e oleaginosas.


De acordo com o Guia alimentar de dietas vegetarianas para adultos, da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), as dietas vegetarianas, quando bem planejadas como todas as dietas, promovem crescimento e desenvolvimento adequados e podem ser adotadas em todos os ciclos da vida, inclusive por atletas, mulheres grávidas, mulheres na lactação, bebês, crianças, adolescentes e idosos.


Uma alimentação à base de vegetais, traz resultados benéficos na prevenção e no tratamento de diversas doenças crônico-degenerativas não transmissíveis. Isso inclui 31% de redução no risco de cardiopatias, 88% menos chance de desenvolver câncer no intestino grosso, 54% menos chance de desenvolver câncer de próstata, 50% menos chances de ter diabetes, além da redução da obesidade, doenças da vesícula biliar e hipertensão.


Segundo relatos de alguns adeptos das dietas à base de vegetais, essa dieta fornece mais disposição durante o dia dando mais energia, menos fadiga e relatam ainda que após as refeições, melhora o raciocínio, a digestão, a qualidade do sono, a função e a saúde intestinal, controlando o peso corporal e as mudanças no odor da transpiração e das fezes.


Como comentado anteriormente, a dieta vegetariana e vegana possui todos os nutrientes que nosso corpo precisa. Para que você compreenda que pode viver a base de vegetais é fundamental que você conheça que uma alimentação vegetariana não é apenas salada. Ao deixar as carnes, leites e ovos de lado no seu cardápio, você se obriga a consumir mais alimentos integrais e suas substituições nutritivas ganham a forma de grãos integrais, frutas, legumes, feijões, ervilhas, nozes e sementes. Assim, vários estudos relataram que as dietas vegetarianas tendem a fornecer mais fibras, antioxidantes e compostos vegetais benéficos. Eles também parecem ser mais ricos em potássio, magnésio, folato e vitaminas A, C e E. Esse padrão alimentar vegetariano tem sido cada vez mais estudado e estas têm demonstrado inúmeros benefícios, como:


- Redução da prevalência de doenças oncológicas, obesidade, doenças cardiovasculares, hiperlipidemia, hipertensão, diabetes e

- Aumento da longevidade.


A nutrição vegetariana associada a um estilo de vida saudável e prática de exercício físico, também

está relacionada com os benefícios para a saúde. Essa junção contribui de maneira significativa para

que seus benefícios sejam cada vez mais observados e comprovados. Buscando sempre por uma dieta

balanceada e adequada, para que não traga riscos à saúde.


A proposta é uma maior variedade alimentar, prato colorido e com os diversos grupos alimentares. Dietas vegetarianas restritivas, monótonas ou desequilibradas, podem acarretar em deficiências nutricionais com relação ao ferro, vitamina B12 e proteínas. Nesse sentido, indivíduos vegetarianos estritos e veganos podem precisar de suplementação medicamentosa de vitamina B12.


Toda alimentação, vegetariana ou não, precisa ser equilibrada e balanceada para oferecer todos os nutrientes que nosso corpo precisa. Uma alimentação rica em carnes vermelhas e gorduras, por exemplo, aumenta o risco de desenvolver doenças do aparelho cardiovascular.


A alimentação vegetariana estrita é rica em fibras, vitaminas, minerais, antioxidantes e fitoquímicos e atua na prevenção e tratamento de diversas doenças como obesidade, diabetes e câncer. Vale lembrar que atualmente as doenças que mais matam são as doenças do aparelho cardiovascular (como infarto, aterosclerose e hipertensão) além do câncer. O posicionamento da American Dietetic Association (ADA) é de que, quando planejada adequadamente, a dieta vegetariana é saudável, nutricionalmente eficiente e resulta em benefícios à saúde, na prevenção e tratamento de certas doenças.


As carnes podem ser substituídas facilmente por alimentos variados que contem valores biológicos altos, evitando também a intoxicação do organismo ou o acúmulo de gordura no corpo. Uma dieta vegetariana balanceada e adequada pode ser uma boa opção para pessoas hipertensas, com problemas de glicose ou colesterol no sangue, com problemas relacionados ao alcoolismo, diabetes, entre outras situações.


Muitos mitos e inverdades rodeiam o vegetarianismo, sendo um deles que uma alimentação vegetariana pode causar deficiências nutricionais. Então SIM, ser vegetariano é muito bom para a saúde, os animais, as pessoas e o planeta. É importante lembrar que vegetarianismo envolve um estilo de vida, acompanhado de outras escolhas que devem ser respeitadas.


O Conselho Regional de Nutricionistas da 3a região (CRN-3), que orienta e fiscaliza a profissão dos

nutricionistas nos estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo, aprova e recomenda as dietas vegetarianas desde que sejam observados:


1) a natureza biológica do ser humano o permite escolher o que comer;

2) é possível atingir a adequação nutricional com dietas vegetarianas desde que observados alguns

cuidados;

3) as dietas vegetarianas podem ser adotadas em qualquer ciclo da vida e;

4) cabe ao nutricionista orientar o indivíduo visando a promoção da sua saúde.


Quando pensamos em ações relacionadas à saúde, logo associamos a qualidade de vida com uma

alimentação saudável, então um dos maiores aspectos que envolvem a saúde é a Alimentação.


Comer é um ato que repetimos diariamente e ser saudável é um desafio cada vez maior. E você já

pensou em reduzir o consumo de produtos de origem animal?


Então para deixar sua alimentação mais equilibrada, mesmo não aderindo à dieta vegetariana ou vegana comece reduzindo o consumo de alimentos de origem animal e aumente o consumo de alimentos do reino vegetal.


Referencias:


DINU, M. et al. Vegetarian, vegan diets and multiple health outcomes: a systematic review with meta-

analysis of observational studies. Critical reviews in food science and nutrition, v. 57, n. 17, p. 3640-3649, 2017.


NUTRIVEG. NUTRIÇÃO VEGATARIANA. Parecer do CRN3 sobre dietas vegetarianas. Disponível em: http://www.nutriveg.com.br/parecer-do-crn-3-sobre-dietas-vegetarianas-2012.html. Acesso em: 16 set. 2021.


SOCIEDADE BRASILEIRA VEGETARIANA (SVB). GUIA ALIMENTAR DE DIETAS VEGETARIANAS PARA ADULTOS. Disponível em: https://www.svb.org.br/livros/guia-alimentar.pdf. Acesso em: 16 set. 2021.


SOCIEDADE VEGETARIANA BRASILEIRA. Posição da Associação Dietética Americana sobre dietas vegetarianas. Disponível em: https://www.svb.org.br/205-vegetarianismo/saude/artigos/141-posi-da-associa-dietca-americana-ada-sobre-dietas-vegetarianas. Acesso em: 16 set. 2021.


Como referenciar este post?


AQUINO, João Marcos. Nutrição vegetariana e saúde. Sem dúvida, uma excelente combinação!. Post 132. Nutrição Atenta. 2021.



67 visualizações

Posts recentes

Ver tudo