Precisando de uma “forcinha” na memória? Os flavonoides podem te ajudar!


Prato colorido! É aquela velha recomendação de todos nutricionistas não é mesmo? Velha, porém essencial para a nossa saúde. Cada vez mais estudos são publicados mostrando os benefícios de uma dieta baseada em alimentos in natura e minimamente processados e para a memória isso não seria diferente! Um grande estudo de Harvard publicado online na Neurology em julho deste ano, sugere que os flavonóides podem desempenhar um papel na proteção da cognição.


Os cientistas avaliaram os dados de saúde e as informações de dieta auto relatadas de mais de 77.000 homens e mulheres de meia-idade, coletados ao longo de 20 anos. As informações incluíam a frequência com que os participantes comeram alimentos ricos em flavonóides e se os participantes relataram mudanças de cognição em seus 70 anos, como por exemplo relembrando eventos recentes ou uma pequena lista de itens.


Os pesquisadores calcularam a ingestão de seis classes de flavonóides:


Flavonóis (como quercetina em cebola e couve),

Flavonas (como luteolina em pimentão verde e aipo),

Flavanonas (como naringenina em toranja e laranja),

Monômeros de flavan-3-ol (como catequinas no vinho tinto e morangos),

Antocianinas (como a cianidina em amoras e repolho roxo),

Polímeros (como teaflavinas no chá preto).


Depois de considerar os fatores que podem ter afetado a cognição (como idade, peso, atividade física, ingestão de álcool, depressão e ingestão de nutrientes não flavonóides), os cientistas descobriram que as pessoas com a maior ingestão diária de flavonóides tinham 19% menos probabilidade de relatar problemas com memória e pensamento, em comparação com pessoas com a menor ingestão diária deste fitoquímico. Segundo os autores ainda foi observado que mesmo aqueles que iniciaram o consumo destes compostos mais tardiamente perceberam os benefícios.


O que são flavonoides?


Os flavonóides são uma das principais classes de fitoquímicos (como pode ser observado na imagem), fitoquímicos são uma classe de compostos bioativos (CBAs) encontrados em alimentos que são capazes de modular processos metabólicos promovendo a melhoria da saúde do indivíduo. Por influenciar o estado de saúde do organismo, os CBAs têm um valor biológico que vai além do valor nutricional do alimento, eles podem ser nutrientes ou não, por exemplo, o retinol (vitamina A) é um composto bioativo e nutriente, já as flavonas (um flavonóide) não é uma vitamina, é um composto bioativo.




A ingestão dos compostos bioativos se dá através de uma alimentação variada nas cores, pois são eles que dão esta característica aos alimentos. As frutas e vegetais no estudo mais associados a efeitos cognitivos benéficos foram: Couve de bruxelas, morangos, couve-flor, espinafre cru, inhame e batata doce, amoras, abóbora amarela e laranja, espinafre cozido, cenouras cozidas, pêssegos, damascos, ameixas.. (acesse o estudo para verificar a lista completa DOI: 10.1212 / WNL.0000000000012454).


Então, se você estiver precisando de uma ajudinha para sua melhora, incluir os alimentos in natura na sua dieta habitual parece ser uma excelente opção.


Gostou do conteúdo? Deixe sua opinião nos comentários.


Referência:


Yeh TS, Yuan C, Ascherio A, Rosner BA, Willett WC, Blacker D. Long-term Dietary Flavonoid Intake and Subjective Cognitive Decline in US Men and Women. Neurology. 2021 Sep 7;97(10):e1041-e1056. doi: 10.1212/WNL.0000000000012454. Epub 2021 Jul 28. Erratum in: Neurology. 2021 Oct 11;: PMID: 34321362; PMCID: PMC8448553.


Como referenciar este post?


MAQUIAVELLI, Sabrina. Precisando de uma “forcinha” na memória? Os flavonoides podem te ajudar!. Post 165. Nutrição Atenta. 2021

13 visualizações

Posts recentes

Ver tudo