Quais são os cuidados com alimentos, superfícies e embalagens na pandemia?

Atualmente diversas fontes científicas têm discutido sobre a possibilidade de contaminação do vírus Sar-Cov-2 (Covid-19) em superfícies inanimadas. Nesse sentido, KAMPF (2020) analisou 22 artigos que revelam a sobrevivência do vírus em embalagens de alimentos feitas com plásticos, metais, vidros e papeis.


O mesmo autor comenta que as embalagens de alimentos devem ser higienizadas com água e sabão, ou aplicar álcool 70% ou ainda solução de hipoclorito de sódio de 2,0 e 2,5%.


Assim como nas embalagens e superfícies, devemos cuidar do preparo de alimentos cozidos e consumidos crus, mesmo não havendo comprovação científica de que seja um veículo de contaminação pelo vírus Sars-Cov-2. Para o preparo seguro dos alimentos já é preconizado pelas agencias regulatórias que temos que seguir protocolos de manipulação como lavar as mãos, controlar tempo e temperatura e evitar a contaminação cruzada, ações que são eficazes para diversos tipos de contaminação já conhecidas pelo mundo.


Consideramos que para higienização de alimentos crus como frutas, verduras e legumes, devemos fazer a desinfecção com hipoclorito de sódio 2,0 e 2,5%, desta forma, é necessário realizar a diluição (com um medidor ou seringa de uso exclusivo para esta finalidade) (FOOD SAFETY BRASIL, 2020) e para alimentos cozidos devemos garantir a cocção segura com 70° C em todas as suas partes (inclusive a interna) conforme RDC 216 de 2004.


Todas essas atitudes podem não só prevenir como evitar a veiculação do vírus através de alimentos, embalagens e superfícies, porém, não menos importante, podemos prevenir diversas outras contaminações alimentares já presentes a muito tempo no nosso dia a dia e que também podem causar mortes através das conhecidas infecções alimentares.


Referências:


FOOD SAFETY BRASIL. Desinfecção de frutas, legumes e hortaliças. Disponível em: https://foodsafetybrazil.org/desinfeccao-de-frutas-legumes-e-hortalicas/. Acesso em

01 ago. 2021.


BRASIL, Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução-RDC nº 216 de 15 de setembro de 2004. Dispõe sobre Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação. Diário Oficial da União, Brasília, DF, de 16 de setembro de 2004. Seção 1, p. 25.


FNDE. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Ministério da Educação. Programa Nacional de Alimentação Escolar. Recomendações para a execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar no retorno presencial às aulas durante a pandemia da covid-19: educação alimentar e nutricional e segurança dos alimentos. 2020. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/index.php/programas/pnae/pnae-area-gestores/pnae-manuais-cartilhas/item/13829-recomenda%C3%A7%C3%B5es-para-a-execu%C3%A7%C3%A3o-do-programa-nacional-de-alimenta%C3%A7%C3%A3o-escolar-no-retorno-presencial-%C3%A0s-aulas-durante-a-pandemia-da-covid-19-educa%C3%A7%C3%A3o-alimentar-e-nutricional-e-seguran%C3%A7a-dos-alimentos. Acesso em: 19 fev. 2021


KAMPF, G.; TODT, D.; PFAENDER, S.; STEINMANN, E.. Persistence of coronaviruses on inanimate surfaces and their inactivation with biocidal agents. Journal Of Hospital Infection, [S.L.], v. 104, n. 3, p. 246-251, mar. 2020.



Como referenciar este post?


CHESSINI, Letícia Mayra Carvalho. Quais são os cuidados com alimentos, superfícies e embalagens na pandemia?. Post 91. Nutrição Atenta. 2021.

8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo