top of page
  • Foto do escritornutricaoatenta

Salgadinho é mais barato que fruta!


Não é mentira não! Os famosos salgadinhos de pacote estão mais barato que as frutas e são oferecidos com muita tranquilidade pelas mães nas lancheiras de seus filhos.


É comum vermos as crianças escolhendo o que elas querem comprar no supermercado.


E é por causa do preço reduzido e da accessibilidade, que os alimentos ultraprocessados são responsáveis por dezenas de milhares de mortes por ano no Brasil.


Em um mundo onde as pessoas têm cada vez menos tempo para se alimentar, pesquisadores e médicos ouvidos pela BBC News Brasil avaliam que esse é um problema que está longe de ser resolvido. Para eles, a atuação do poder público, hoje falha, é a principal saída para melhorar a qualidade da alimentação dos brasileiros.


O país acumula, na visão dos especialistas, um histórico de prioridades erradas: concede uma série de subsídios e incentivos fiscais que barateiam e tornam mais acessíveis os produtos industrializados — como salsicha, macarrão instantâneo e refrigerante — enquanto dá pouco apoio à produção de frutas e legumes, principalmente de pequenos produtores.


O estudo que avaliou os impactos sobre a saúde dos alimentos ultraprocessados —que são os produtos que passaram por maior processamento industrial e contêm substâncias sintetizadas em laboratório como os corantes, conservantes e aromatizantes— apontou que eles foram responsáveis pela morte de 57 mil pessoas no Brasil, com base em dados de 2019, os mais recentes disponíveis sobre o tema.


Para efeito de comparação, no mesmo ano, 45,5 mil pessoas foram assassinadas no Brasil, segundo o Sistema de Informações sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde. Pediatra e nutróloga do Cren (Centro de Recuperação e Educação Nutricional), Maria Paula de Albuquerque afirma que, no Brasil, a indústria de alimentos ultraprocessados é pouco cobrada pelos eventuais danos causados à saúde dos consumidores. A pesquisa sobre os ultraprocessados aponta que mais de 10% das 540 mil mortes registradas no país em 2019 são atribuíveis ao consumo destes produtos. Segundo os pesquisadores, se os brasileiros reduzissem o consumo desses alimentos em 20%, poderiam ter sido evitadas 12 mil mortes. Caso a redução fosse de 50%, 29 mil vidas poderiam ser poupadas. Para acessar a matéria completa, clique aqui.


Referência bibliográfica


Associação Médica Brasileira. Salgadinho é mais barato que fruta. Disponível em: https://amb.org.br/brasilia-urgente/salgadinho-e-mais-barato-que-fruta-subsidiados-no-brasil-ultraprocessados-causam-57-mil-mortes-no-pais-diz-estudo/. Acesso em: 19 nov. 2023.


Como referenciar este post?

CINTRA, Patricia. Salgadinho é mais barato que fruta!. Post 566. Nutrição Atenta. 2023.

Instagram: @cintra.nutricionista e @nutricao_atenta.

25 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page