Uso do sal light em substituição ao sal comum é melhor para pacientes renais?


Pacientes renais crônicos, principalmente aqueles em tratamento dialítico e, sobretudo os anúricos, ou seja, com diminuição ou suspensão da secreção urinária, precisam ficar atentos com a ingestão de determinados nutrientes como sódio, potássio e fósforo.


A redução do consumo de sal na alimentação tona-se essencial não somente visando melhorar o controle dos níveis pressóricos, mas também para minimizar ou evitar o acometimento cardíaco nos pacientes renais.


Uma dúvida muito frequente dos pacientes é o uso do sal light em substituição ao sal comum para evitar estes problemas. Mas será que essa toca é compensadora?


O sal comum ou refinado é constituído basicamente por cloreto de sódio. Já o sal light é 50% cloreto de sódio e 50% cloreto de potássio. Assim para pacientes que apresentam exames laboratoriais de potássio alterado, o consumo de sal light NÃO é recomendado, por ter maior quantidade de potássio em sua composição.


Uma dica para minimizar o consumo de sódio é evitar os temperos prontos e reduzir a quantidade de sal acrescentando temperos naturais como alho, cebola, orégano entre outros. O nosso paladar é totalmente adaptável, se você tem o hábito de “pesar a mão” no sal em suas preparações diminua aos poucos, logo você não sentirá a falta. E o mais importante, converse sempre com seu nutricionista de confiança antes de sair comprando alimentos caros que não irão te ajudar.


REFERÊNCIA


PINTO-E-SILVA, M. E. M. et al. Técnica dietética aplicada à dietoterapia. Barueri, SP: Manole, 2015


Como referenciar este post?


MACHIAVELLI, Sabrina. . Post 347. Nutrição Atenta. 2022.

Instagram: @nutricionistasabrinakaely

7 visualizações