Vitamina C e resfriado comum, vale a pena suplementar?


O resfriado comum é uma causa importante de consultas médicas e de faltas no trabalho e na escola. São mais de 200 tipos de vírus que podem causar sintomas como coriza, congestão nasal, espirros, dor de garganta, tosse, além de dor de cabeça, febre e irritação ocular.


Esses sinais podem variar de pessoa para pessoa e conforme o tipo de resfriado.

Agora, eu aposto com você que, uma coisa em comum em todas as pessoas que estão com resfriado é aquela vontade de ir à farmácia e comprar uma vitamina C para esse resfriado ir logo embora, não é mesmo? Mas, será que é eficaz? Vale a pena?


Desde que foi isolada pela primeira vez por volta de 1930, a vitamina C tem sido usada no tratamento de infecções respiratórias. Tornou-se bastante popular na década de 1970 quando o detentor do prêmio Nobel, Linus Pauling concluiu, baseado nos primeiros estudos placebo-controlados, que a vitamina C poderia prevenir e melhorar o resfriado.


Desde então, mais de duas dúzias de novos estudos foram realizados e a vitamina C vem sendo vendida em larga escala para prevenção e tratamento do resfriado.

A maioria dos suplementos de vitamina C disponíveis no mercado contém uma grande quantidade dela, 1000mg em cada cápsula ou comprimido, a recomendação diária é de 90 mg para homens adultos e 75mg para mulheres adultas, doses entre 80 -100mg/dia já ocorre aumento quantitativo na excreção urinária de vitamina não metabolizada, ou seja, o excesso sai pela urina, logo tomar doses muito elevadas apenas tornam o seu xixi um pouco mais caro!


Outra condição é que a biodisponibilidade (proporção do nutriente nos alimentos que é absorvida e utilizada nos processos de transporte, assimilação e conversão à forma biologicamente ativa), desta vitamina é melhor em doses baixas, ao ingerir 30mg cerca de 87% de vitamina C se torna biodisponível, ao ingerir 1250mg a biodisponibilidade é de apenas 50%.


Sobre a eficácia no resfriado comum, a maior database de revisão, Cochrane, tem um trabalho mostrando que utilizar vitamina C como preventivo não funciona. Além disso manter a recomendação diária através da alimentação é bem fácil, sendo sua deficiência muito rara. Acerola, goiaba, brócolis, couve e laranja são exemplos de boas fontes desta vitamina e que são encontradas facilmente em nosso país.




Fontes utilizadas:


Cochrane review: Vitamin C for preventing and treating the common cold.


COZZOLINO, S. M. F; COMINETTI, C. Bases bioquímicas e fisiológicas da nutrição: Nas diferentes fases da vida, na saúde e na doença Barueri, SP Manole, 2013



Como referenciar este post?


MACHIAVELLI, Sabrina. Vitamina C e resfriado comum, vale a pena suplementar?. Post 174. Nutrição Atenta. 2021.

Instagram: @nutricionistasabrinakaely

7 visualizações