Você sabe quais são as tendências da profissão? Venha saber mais!


gif



1 - Low carb

Considerada uma tendência entre diversas celebridades, a dieta low carb tem sido o estilo alimentar adotado por grandes influenciadores e muito requisitado por nutricionistas.

Como a própria origem do nome já diz, low carb é a alimentação com baixo carboidrato, portanto a restrição vale tanto para o consumo de carboidratos processados como pães, massas e bolos quanto para alguns tipos de frutas e legumes com alto índice glicêmico.

Quem geralmente faz a dieta low carb dá preferência para o consumo de alimentos com baixo índice glicêmico, como batata doce, morango e frutas cítricas. Uma vez que o corpo busca energia primeiramente da glicose armazenada, a ideia é que essa fonte tenha baixo estoque de glicose para que o corpo seja obrigado a buscar outras fontes para consumir energia.

Assim, acredita-se que o organismo é forçado a queimar a gordura estocada, resultando no emagrecimento — até porque a ingestão de calorias é reduzida, o que tende a facilitar esse processo. O mais importante é saber que essa dieta não deve ser indicada para todo tipo de pessoa.

Por isso, o risco é justamente a falta de acompanhamento profissional, pois alguns pacientes entram em situações extremas e começam a ter fortes dores de cabeça, cansaço, oscilações de humor e déficit de atenção, entre outras complicações.


2 – Crescimento do vegetarianismo e veganismo

O número de adeptos à alimentação baseada em plantas cresce a cada ano. Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), no Brasil, já são quase 30 milhões de pessoas que se declaram vegetarianos. Nesse sentido, além de escolhas de novos formatos de proteínas vegetais, veremos mais marcas lançando linhas plant based, o surgimento novos produtos e alternativas mais sofisticadas ganhando destaque.


3-Dieta do DNA

Essa dieta ganhou destaque na mídia depois que um grande número de pessoas conseguiu conquistar bons resultados, porém, como o próprio nome já diz, a genética é fundamental para o seu sucesso.

Para dar início ao tratamento, é preciso que o paciente tenha o seu perfil genético traçado, a fim de identificar suas necessidades particulares antes de criar um cardápio específico de acordo com os dados obtidos.

Esses resultados servem para avaliar as carências nutricionais de cada paciente, aliando-os ao resultado dos exames solicitados pelo profissional competente. Com todas essas informações devidamente analisadas, o nutricionista vai elaborar um cardápio alimentar capaz de não apenas atuar no emagrecimento, mas na prevenção e tratamento de doenças possivelmente diagnosticadas.

A dieta do DNA, porém, não é uma tendência que poderá ser abraçada por todos, uma vez que os exames não são muito acessíveis, demandando alto investimento.


4 – Alimentos de verdade

Com a pandemia, muitas pessoas passaram a cozinhar mais, descobrindo um novo mundo. Muitas desenvolveram um hobbie, aprimorando suas habilidades culinárias e muitas passaram a valorizar a comida mais natural, feita em casa. Esse aumento da demanda por comida caseira afeta diretamente a escolha de kits de refeições, marmitas caseiras ficam a frente a de alimentos industrializados, resultando em novas experiências alimentares.


5 – Imunidade em foco

A COVID-19 trouxe para o foco a saúde imunológica. Esse assunto foi tema de matérias em todos os tipos de mídia e entre nossa classe profissional. Pesquisas mostram que, em 2020, 6 em cada 10 consumidores globais buscaram por alimentos e bebidas que apoiem a imunidade. A demanda por informação sobre o assunto, principalmente para orientação da escolha de ingredientes ricos em nutrientes que aumentem as respostas e defesas do corpo, continuam em alta com um papel significativo.


6- Superalimentos em forma de bebidas

Um supermercado orgânico nos EUA começou em 2017 algo que se tornaria tendência no mundo inteiro: bebidas engarrafadas que contêm em sua preparação superalimentos benéficos para a saúde, como açafrão, limão e vinagre de maçã, entre outros.

No Brasil já temos algumas empresas dedicadas à produção dos superalimentos em forma de bebidas, o que tem ajudado muitas pessoas a melhorar os maus hábitos, como o consumo de refrigerantes e outras bebidas repletas de açúcares e conservantes.


7 – Intestino em destaque

Dos artigos científicos para a atenção popular, a microbiota intestinal é um ponto de foco para os próximos anos. Não é de hoje que estudos a apontam como ponto-chave para melhorar a saúde, mas agora o interesse pelo assunto rompeu essas barreiras e o número de pessoas que buscam produtos com composições que beneficiem o intestino e regularizem a microbiota, principalmente pelos benefícios disseminados a respeito do papel da saúde intestinal no controle de peso e suporte do sistema imunológico, deve crescer muito.


Referência


CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO. 7 TENDÊNCIAS QUE ESTÃO EM ALTA EM 2022. Disponível em: https://www.posead.saocamilo.br/descubra-aqui-as-7-tendencias-da-nutricao-que-estao-em-alta-em-2022/noticia/226. Acesso em: 10 abril. 2022.


AMOR EM NUTRIR. 7 TENDÊNCIAS DA NUTRIÇÃO PARA 2021. Disponível em: https://amoremnutrir.com.br/7-tendencias-da-nutricao-para-2021/?gclid=EAIaIQobChMIs_6L_9CJ9wIVAc6RCh3Okw9qEAAYASAAEgJoPPD_BwE.Acesso em: 10 abril. 2022.


Como referenciar este post?


CINTRA, Patricia. Você sabe quais são as tendências da profissão? Venha saber mais!. Post 250. Nutrição Atenta. 2022.

13 visualizações

Posts recentes

Ver tudo