top of page

Imunidade e nutrição: Quais nutrientes fortalecem essa relação?

Polivitamínicos, suplementos que aumentam a imunidade, a oferta é gigantesca e tentadora. Quem não queria com uma simples cápsula resolver os problemas em relação a imunidade? Entretanto, não existe um alimento, suplemento ou medicamento que faça este milagre, então, o que eu preciso para manter o bom funcionamento do meu sistema imunológico?


Antes de mais nada vamos entender de uma maneira bem resumida como nosso sistema imunológico funciona. Sistema imunológico ou resposta imune é responsável por combater infecções e doenças e, ao mesmo tempo, desenvolver uma tolerância para evitar alergias e doenças autoimunes.


O seu funcionamento é bastante complexo e envolve um conjunto de células e citocinas (tipos especiais de proteínas que podem modificar funções celulares) que trabalham de forma integrada. A proteção imunológica acontece em várias linhas de defesa. A primeira é inespecífica, representada pela barreira física da pele e mucosas.


Existe também a resposta imune inata, que responde contra antígenos, também de maneira inespecífica, por meio de processos inflamatórios e migração de células de defesa. Por fim, a resposta imune adaptativa ou específica que possui caráter mais duradouro, e é responsável pela formação de memória imunológica específica, como é o caso das vacinas.


Alguns nutrientes como carboidratos, proteínas e gorduras, além de algumas vitaminas como A, D, E, C, minerais como ferro, zinco e selênio, fibras e probióticos estão envolvidos no bom funcionamento do sistema imunológico. As células imunológicas têm vida curta, sendo assim nosso organismo trabalha para que elas sejam repostas em uma velocidade muito alta, estes nutrientes participam da produção destas células, logo, as deficiências nutricionais podem prejudicar o sistema imune.


Além disso, existem outros fatores individuais que modulam a função imune, como por exemplo, idade, gênero, composição corporal, dieta, exercício físico, tabagismo, genética, presença de infecções, estresse psicológico, privação do sono, álcool e histórico de vacinação.


O padrão alimentar, por fornecer os nutrientes necessários para o funcionamento do sistema imune, pode influenciar diretamente nesta resposta, entretanto não há consenso na literatura de que aumentar a ingestão de determinado nutriente, acima da recomendação diária, modularia a imunocompetência em indivíduos saudáveis, por exemplo, já sabemos que o consumo excessivo de suplementos de vitamina E, ferro e zinco podem prejudicar a função imune.


Estes nutrientes citados, podem ser encontrados em uma alimentação diversificada baseada nos alimentos innatura e minimamente processados, não sendo necessário o uso de suplementos, que quando usados sem indicação não terão efeitos significativos na resposta imunológica, mas sim, terão impactos bem significativos no seu bolso.


REFERÊNCIAS

CALDER, Philip C.; KEW, Samantha. The immune system: a target for functional foods?. British Journal Of Nutrition, [S.L.], v. 88, n. 2, p. 165-176, nov. 2002. Cambridge University Press (CUP).


SOCIEDADE BRASILEIRA DE NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO. Nutrição e Imunidade. Disponível em: <https://irp.cdn-website.com/63a687e5/files/uploaded/manual-sban_nutricao_e_imunidade-Secretaria-CRN9.pdf> Acesso em 08/12/2022


Como referenciar este post?


MACHIAVELLI, Sabrina. Imunidade e nutrição: Quais nutrientes fortalecem essa relação?. Post 388. Nutrição Atenta. 2022.

Instagram: @nutricionistasabrinakaely

14 visualizações
bottom of page