top of page

Metas nutricionais em UTI, um desafio para o nutricionista

 



As Unidades de Terapia Intensiva são o local onde absorvem pacientes com diferentes patologias complexas. Muitas vezes esses pacientes necessitam de alimentação por uma via alternativa, por isso, uma dieta enteral via sonda é prescrita.


Durante os dias de internação em uma UTI, o paciente é submetido a vários procedimentos, fora da unidade intensiva, ou não, ocasionando a pausa da dieta enteral. Essa pausa na dieta, faz com que o paciente não receba a quantidade necessária de energia e proteína, ocasionando assim, impacto direto em um maior número de complicações e no tempo de internação hospitalar.


Pensando nisso, um protocolo (Protein-Energy Provision via the Enteral Route Feeding Protocol in Critically Ill Patients – PEPUP) foi desenvolvido por Heyland e colaboradores a fim de resolver as implicações das interrupções da nutrição enteral (NE). Quando ocorre uma pausa, e a NE precisa ser reiniciada, a taxa de infusão é ajustada de acordo com o tempo e o volume restante da alimentação para compensar a subalimentação causada pela interrupção da alimentação.


A partir disso, pesquisadores realizaram uma revisão sistemática com meta-análise, para avaliar a eficácia deste protocolo na prática clínica nos dias de hoje em pacientes gravemente enfermos. Para isso, foram incluídos dezesseis estudos de coorte e ensaios clínicos randomizados, num total de 2.896 pacientes. Confira seus resultados abaixo.

Como principais resultados encontrados, nos grupos em que o protocolo foi realizado, a entrega de energia e proteína nos pacientes graves foi superior aos grupos controles, alcançando as metas nutricionais com maior facilidade


Confira seus resultados abaixo ⬇️


Outro desfecho analisado, foi o tempo de internação na UTI. No grupo protocolo foi inferiror ao controle. Além disso, complicações como diarreia e êmese não tiveram diferença significativa quando comparada ao grupo controle.


Outros resultados importantes não tiveram diferença significativa, como o tempo de ventilação mecânica, mortalidade, intolerância alimentar e estase gástrica.


Segundo os autores a revisão sistemática fornece fortes evidências para validar a eficácia e segurança da entrega otimizada implementando o protocolo PEPUP e também fornece uma justificativa importante para a aplicação deste protocolo em ambientes clínicos.


Referência:


WANG, L., et al. Optimizing enteral nutrition delivery by implementing volume-based feeding protocol for critically ill patients: an updated meta-analysis and systematic review. Crit Care v, 27, n. 173, 2023. Disponível em: https://ccforum.biomedcentral.com/articles/10.1186/s13054-023-04439-0. Acesso em 20 de junho de 2023.

Acesso ao protocolo: http://www.criticalcarenutrition.com.


Como referenciar este post?

MACHIAVELI, Sabrina. Metas nutricionistas em UTI, um desafio para o nutricionista. Post 487. Nutrição Atenta. 2023.

Instagram:@nutricionistasabrinakaely

25 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page